Material pornô X Dependente

Com a chegada da internet, a pornografia se tornou muito mais acessível e interessante. Para os empresários, isso realmente deve ser um grande negócio, mas para o público, nem sempre o é. Primeiro eram fotos em jpg que depois foram substituídas por vídeos.

Os sites gratuitos se tornaram um oásis no meio do deserto comercial desse ramo. Eles se atualizam a cada instante, recebendo dezenas de novos materiais por dia. O usuário compulsivo fica ansioso para saber quais são os novos produtos postados, quais os mais recentes etc.

O dependente fica sempre tenso, pois sente necessidade de conferir os novos materiais, para que não escape nenhum que seja julgado como bom. Com o passar do tempo, fica cada vez mais difícil encontrar um vídeo que o excite o suficiente para o orgasmo perfeito. O curioso é que, de tanto fazer isso, muitos pornólatras criam um tipo de combate entre os vídeos, para saber qual deles será o causador do orgasmo. Tudo isso em uma ou duas horas diante de um computador.

Depois que tudo termina, muitos afirmam que sentem uma sensação, que mistura satisfação com depressão. O item depressor é justamente o fato de saber que estão saciando um vício.

Na hora que bate a vontade forte, a curiosidade; não importa nada, nem oração, nem as “datas de limpeza conquistadas”. A cabeça do viciado cobre tudo isso com uma venda de ilusão, que se desata assim que se fecha o portal pornográfico pós-orgasmo, jogando todo esforço na lata de lixo, sobrando somente sabor amargo da frustração.

Percebendo a Demasia

O erotismo está por toda a parte. Porém, o vício da pornografia faz com que o dependente repare muito mais na sensualidade do que na naturalidade da vida. A consulta constante ao material pornográfico o induz a buscá-lo no mundo externo, num processo quase imperceptível.

Nessa fase, o viciado “pensa em sacanagem” mais do que o normal. Com isso, ele fica mais desconfiado da fidelidade das cônjuges e faz grandes mudanças na vida sexual, pois sente falta de um detalhe que existe apenas no universo pornô, que não o pertence, mas ele quer trazer isso para si de alguma forma, por algum motivo.

No mundo pornô, as histórias giram em torno do sexo. Por isso que ao assistir um filme desse, a impressão que se tem, é que as coisas parecem bem fáceis de se fazer, mas na realidade, a coisa não funciona assim.
 
Se bem que há pessoas e pessoas. Para cada um, a pornografia tem um significado, um porque, um preenchimento, um valor.  Reconhecer o problema é o primeiro passo na busca da solução. E ao invés de se refugiar apenas no parâmetro espiritual, como fazem muitos, também é bom focar no lado científico da coisa.

Umas boas sessões de terapia podem tratar o problema através da causa primária, e despertar no dependente, a verdadeira vontade de parar; e finalmente ele conseguirá dominar o desejo pela pornografia. Por isso, não dispense o tratamento psicológico. Ninguém é louco por causa disso.

E não sofra por causa dos vídeos postados na rede. Sempre haverá materiais “imperdíveis”. Portanto ao largar a pornografia, você não estará perdendo só duas semanas de novidades, mas sim, todo e qualquer produto desse tipo. Você não precisa forçar a recaída só para ver o que postaram de novo, pois sempre haverá algo a ser perdido. Se você ficar buscando sempre, mais complicado será o desapego do material pornográfico.

Um comentário sobre “Material pornô X Dependente

  1. Pingback: A Pornografia e Você «

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s