Culpa: Livre-se disso

Nem é preciso conhecer a fundo a maior parte daqueles que se dizem dependentes da pornografia, para perceber que muitos carregam uma das piores cargas emocionais: a culpa.

Se você espera encontrar aqui, algum artigo que torne a pornografia uma coisa tanto maldita, como maravilhosa, você está no lugar errado. Tente encará-la com mais imparcialidade, pois quanto mais julgá-la como ruim, mais se sentirá culpado pelo vício. 

Este blog não enaltece a pornografia, mas também não a condena. Afinal, quem somos nós, pobres mortais, para julgar alguma coisa?  Tudo o que temos é o raciocínio e o tempo, dois grandes aliados da nossa consciência.

Vivemos numa sociedade que adora julgar. A todo instante julgamos e somos julgados por alguém. Seja pela moral, pela lei, pela ciência ou pela religião. Aliás, esta última é uma das mais citadas, e pelo visto, é a que mais entristece os pornolistas em recuperação.

Desde a fundação, até a presente data deste post, o BADPorn registrou percepções curiosas acerca dos dependentes. A maioria está preocupada por acreditar que a masturbação é coisa do mal e que a pornografia é um artifício destruidor e bloqueador de virtudes.

Será que a dependência da pornografia e a masturbação exaustiva estão te perturbando porque consumem muito do seu tempo, do seu pensamento e de suas energias? Ou será que elas te perturbam porque alguém te disse que são coisas pervertidas, alienantes, que fazem de você uma pessoa sem moral?

O que está em jogo não é saber se há ou não entidades ruins por trás desse vício, ou se determinadas crenças condenam o pornografismo. Cada um tem direito de acreditar no que quiser, mas convenhamos, que ser viciado em pornografia não vai te fazer um ser humano menos querido pela Divindade, sobretudo, se esta representa o amor incondicional.

Você pode ser uma pessoa honesta, trabalhadora, que não usa drogas, que não faz fofoca, que não rouba nem mata, que não mente, que não age com más intenções… Só que infelizmente está muito atraída pela pornografia. É possível, desse modo, notar que o vício no pornô não destrói as suas qualidades originais e mais belas da mesma forma que o sol derrete um cubo gelo. O consumo pornográfico pode te sugerir más idéias, porém está em seu poder, permitir e dar vazão a elas.

A dependência da pornografia e a masturbação exaustiva só podem te fazer mal se você lhes der importância e abertura. Nós já estamos no século XXI para afirmar que a masturbação é impureza e auto-prostituição. Você já sabe muito bem que ela é um processo saudável de descoberta íntima, uma ferramenta de prazer individual. E principalmente, sabe que tudo em excesso faz mal. Modere, portanto, os seus impulsos e seja feliz com seu corpo sem sentir culpa disso.

Quanto à pornografia, tente compreender somente, que o uso demasiado dela pode provocar um desagradável incômodo mental, bem como, inspirar costumes que podem agredir a saúde das práticas sexuais de um indivíduo. Não a julgue mais do que isso, para evitar as investidas da culpa.

Experimente, ao menos uma vez, avaliar o conteúdo adulto para o qual você se expõe. Observe o que este lhe propõe e apresenta. Pense no que ele mudou na sua vida e afaste-se do que considerar ruim ou errado. Use a sua consciência, o seu juiz interno. Estabeleça um limite, caso não consiga se livrar de uma vez por todas dessa culpa.

Comece a filtrar a sobra de pornografia evitando tudo que envolve violência, infidelidade, bizarrice, desrespeito ao sagrado, promiscuidade ou qualquer distorção da realidade sexual humana. Em contrapartida, busque amenizar o seu vício com produtos que sejam mais neutros; que sugiram de alguma forma, um clima de romance ou afetividade no ar.

A pornografia pode ser fatalmente comparável ao álcool. Você sabe o mal que faz o alcoolismo, mas reconhece que degustar uma taça de vinho numa festividade pode ser agradável. Por isso, bote o seu bom senso em ação, e aí ficará mais fácil de saber o que está errado na sua relação com a pornografia.

Sabemos que fumar faz mal, que consiste no parcelamento de um suicídio. O fumante tem consciência de que os males podem matá-lo, mas tem o livre-arbítrio de escolher pelo fumo. A pornografia não mata, mas o seu uso excessivo perturba a paz integral (pensamento, sentimento, corpo e essência) e deixa a pessoa numa mistura de prazer com frustração. Esse aborrecimento não a deixa viver em harmonia com a própria sexualidade.

Reúna esforços para descartar esse produto da sua vida, pensando na sua saúde mental e até física. E por favor, não se culpe mais por causa dos outros ou da crença instituída. Se você acredita num Ser Superior, sabe que Ele acompanha os seus esforços para melhorar-se e te ajuda na medida em que sua luta é sincera. Ele te ama e não te despreza por causa do vício na pornografia, tenha certeza disso.

No final das contas, cedo ou tarde, você vai descobrir que para ser feliz sexualmente não é preciso vivenciar os detalhes de um filme erótico ou ser como os atores pornôs. O prazer existe, é sagrado, e completamente independente da pornografia. Tudo isso não passa basicamente, de uma escolha sua, em arcar ou não com essa mercadoria adulta.

Usar a pornografia para dar sentido a sua intimidade pode ser uma questão de tempo, que aliás, é um amigo que vai te convidar a refletir sobre esse consumo patológico, e apontar para o desprendimento que acaba com o vício… Assim que se conscientizar sobre a dependência,  certamente você vai conhecer uma nova verdade, seguida de uma provável transformação. E por fim, se sentirá livre.

Todos erram. Todos possuem defeitos. Todos possuem manias. Não se culpe. Você jamais será o(a) pior.Reconhece-se uma boa pessoa, quando ela luta intensamente para consertar suas falhas. Siga em frente, sem culpa e sem medo dos seus vícios.

4 comentários sobre “Culpa: Livre-se disso

  1. Pingback: A Pornografia e Você « BADPorn

  2. Pingback: Masturbação saudável existe « BADPorn

  3. gostaria de parabenlizar a vcs do bad porn por fazer um otimo trabalho,sua posiçao de avaliaçao é muito boa,continue assim
    eu nao sou viciado,sou apenas um usuario esporadico,mas eu as vezes me sinto mal por usar,ja fiquei quase duas semanas sem usar e sempre volto por dois dias e depois passa,gosataria de saber se é assim msm,e o que fazer para parar de vez?
    ah proposito ja nao me sinto tao culpado,apenas consciente de que isso nao pode crescer,que tem a diminuir,obrigado a vcs!

  4. Olá Dimitre,

    Seus elogios são muito bem vindos! Obrigado por visitar o blog!
    Conforme você mesmo diz, é um usuário regular. Talvez se você focar o tempo em outras coisas, possivelmente nem terá condições de parar para usar pornografia; Ou ainda, observe o que motiva a usar esse material, pois geralmente a resposta está em nós mesmos. De qualquer forma, é sempre bom consultar um especialista, um terapeuta que tem suporte adequado para te orientar nessa jornada.

    Fique na paz!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s